segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Cirque de Soleil Luzia, Montreal, QC - 16/7/2016

Apos muito adiar decidimos comprar os ingressos para o Cirque de Soleil. A temporada estava terminando, nao havia previsao de outra estreia nos proximos anos e nunca haviamos ido a um espetaculo. Some-se a isso um belo desconto conseguido com nosso anjo do circo...

O dia estava muito bonito entao decidimos sair cedo de casa e ficar pela regiao do velho Porto de Montreal para almocar e depois ir ao circo. Montreal nesta epoca do ano fica muito bonita, dias de sol como esse dao um astral especial aa regiao do velho porto, muitos turistas e artistas de rua dao um clima especial ao local.

Almocamos num restaurante na Place Jacques Cartier, esquina com Rue de la Comune, bem em frente de onde a nova tenda branca do circo estava montada.
O nome do espetaculo eh Luzia e eh patrocinado pelo governo do Mexico. 

Chegamos no espaco do circo com uma boa antecedencia, tiramos algumas fotos na entrada, Gabriel disse o nome dos paises de quase todas as bandeiras que ficam hasteadas na frente da lona (acho que nao soube somente a de Belarus) e entramos. Encontramos nossos lugares na lateral do palco e nos sentamos. 


Foi eu comentar com Claudia que toparia ate ficar mais para tras mas um pouco mais de frente para o palco que nosso anjo da guarda chegou e nos deu um upgrade para uma cadeira bem de frente, na mesma altura que a nossa.

Gabriel ficou sentado bem atras da cadeira em que o fundador do circo senta quando vai aos espetaculos, ou seja, um lugar muito privilegiado! Este pequeno detalhe possibilitou um visual muito melhor com aquele disco que pode ser visto nas fotos ao fundo de todo o espetaculo.


O Espetaculo eh muito baseado em acrobacias tradicionais usando solucoes relativamente simples de maneira diferente como, por exemplo, uma grande esteira rolante.

Tambem usa muito o efeito da agua, com uma cascata interativa e muitos atos com os artistas em piscinas ou na propria cascata, criando mais uma dificuldade.

Conclusao: Valeu muito a pena, tanto para nos quanto para as criancas. Recomendo muito.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Picnic no Centennial Park, Beaconsfield, QC - 14/Julho/2016

Post rapido sobre como coisas que parecem simples podem tornar sua vida tao bacana. Numa quinta-feira, combinei com Claudia de irmos jantar no parque.

Na volta do trabalho passei em casa, preparei uns hot dogs, troquei de roupa e fomos jantar no Centennial Park de Beaconsfield.



Depois do jantar as criancas foram brincar nos brinquedos (as fotos sao de outro dia)...


Tudo isso ao som de uma bandinha que estava tocando no Lord Reading Yacht Club que fica bem ao loado do parque.


Depois fomos para casa...

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Replay Beatles @ Centennial Park, Beaconsfield, QC - 5/Julho/2016

Desde que estava fazendo a mudanca de nossas coisas para a casa nova vi em uns billboards eletronicos no Boul. St. Charles que teriamos um show cover dos Beatles no Centennial Park em Beaconsfield. Fiquei com vontade de ir ja que os meninos adoram os Beatles, seria em um parque, e de graca.

Cheguei do trabalho, troquei de roupa, fizemos uma bolsa com lanches e agua e fomos para la. Ao chegar la encontramos tudo organizado, estacionamento ja cheio mas com vagas, arquibancadas e o palco. O parque eh relativamente pequeno, tem parquinho para criancas com uma prainha no Lac St. Louis, o Centennial Hall (uma casa que pode ser alugada para festas e eventos em geral), um mirante para o lago e muita area verde com mesas para pic-nic (tinha ate um pessoal tomando um vinhozinho), alem do estacionamento, nao muito grande mas tranquilo de encontrar vaga.


Ao chegar os meninos brincaram bastante no parquinho, dei uma olhada na praia, Gabriel tambem, demos uma olhada no mirante e perto da hora do show, que comecou pontualmente aas 19h30, nos sentamos em umas arquibancadas que foram colocadas ao redor da area do show. Esquema mesmo eh levar cadeiras desmontaveis, muito comuns no Canada e EUA, e sentar no gramado na frente do palco. Tinha de todo tipo, das mais simples que lembravam cadeiras de praia antigas do Brasil ate verdadeiras poltronas.


O show foi legal, a banda era legal, nada mais do que isso, mas o clima, o pessoal dancando na frente do palco, o parque, o lago, o por-do-sol, tudo isso criou um clima muito bom. A banda foi esquentando e o show foi melhorando. O cover de Paul era o mais falante e imitava os trejeitos e o jeito de falar do original. Nao faltaram tambem piadinhas com o bilinguismo, ja que nossa cidade eh bem inglesa numa provincia que preza muito pela lingua francesa. Mas em My Michelle, que tem partes em frances eles deram uma agradada nos francofonos, nao sem antes dizer que precisavam de ajuda.




Depois de uma meia hora de show os meninos ficaram impacientes e voltamos ao parquinho de onde dava para ver e ouvir o show e eles podiam brincar sem problemas. O show todo durou pouco mais de uma hora, as pessoas foram saindo para o estacionamento, a policia orientou a saida do parque e antes das 21h estavamos em casa.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Canada Day - Julho/2016

Claudia, Gabriel e Mariana chegaram em Montreal na madrugada do dia 29/6. Foi uma noite cansativa, mas muito feliz pois nossa familia estava unida novamente. Nos dias 29 e 30 eles ficaram mais por casa mesmo durante o dia. Aa noite fomos em algumas lojas e supermercados para abastecer melhor a casa.


O bom foi que no dia 1/7 foi o feriado do Canada Day, feriadao logo de cara e pudemos passar juntos um dia bem legal e cheio de simbolismo. Isaque queria trazer Mei para conhecer melhor a West Island, especialmente nossa cidade, Beaconsfield, e tambem combinou com Manteiga e Belle de eles virem para o nosso lado.

Demos uma volta por Beaconsfield mas fomos em direcao de Pointe Claire, onde haveria tambem uma festinha no parque que fica do lado da escola onde as criancas deveriam estudar (depois explico essa). Iamos parar somente para comer em Pointe Claire e depois voltar para o parque de Beaconsfield mas estava bem legal por la e fomos ficando.

O dia estava bonito, com um solzinho, o parque ficava na beira do Lac St-Louis, que nada mais eh do que uma parte mais larga do Rio Saint-Laurent (ou Sao Lourenco) ao sul da Ilha de Montreal. O parque Borgeau fica ao lado da escola Marguerite-Bourgeoys formando um conjunto ainda com o moinho de Pointe Claire, a Igreja de Sao Joaquim, o Pointe Claire Yacht Club e o Pointe Claire Hermitage Park. O lago com varios barcos, uma regata acontecendo, nada demais, mas ajudava a fazer o clima.

Festinha simples mas bem organizada, com brinquedos inflaveis para as criancas, shows de Zumba e infantil, barraquinhas com pintura de rosto, barraca de agua, barraquinhas com comida (Domino's Pizza, hamburger, cheeseburger, cachorro-quente, beaver tail). Detalhe, fora a comida, era tudo de graca. Pagamos para comprar umas garrafinhas, tipo squeeze, mas se tivessemos levado as nossas seria de graca. A policia se fazia presente mais como uma forma de reforcar os lacos com a comunidade, tinha tambem um posto medico e ambulancia de prontidao. Mesinhas espalhadas pelo gramado e uma estacao de lixo reciclavel com orientacao de como separar o lixo reciclado do organico e do nao reciclavel.


video

As criancas se esbaldaram, Mari fez logo amizade com Louise (filha de Manteiga) e Gabriel, alias, os dois, foram incontaveis vezes nos brinquedos inflaveis. Precisa nem dizer que era tudo organizado, com fila respeitada e com orientacao de voluntarios.


Na hora de ir embora ganhamos um belo banho de chuva gelada para aprender a prestar mais atencao no tempo...hehehehe

Acho que a frase que melhor explica o dia foi extraida da sabedoria do Mestre Isaque: "Por mais que a gente explique, nao da. So vivendo isso aqui para entender".

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Nossa chegada no Canada - Fevereiro/2016

Partimos de Recife no domingo de carnaval, 7 de fevereiro de 2016. Nossa familia estava lá para dar aquele apoio tão necessário. O lado cômico da despedida veio de Mariana que bem na hora da nossa entrada na área de embarque, com todo mundo segurando o choro, soltou um "Agora é a hora de chorar!". Foi o suficiente para todos rirem e quebrar um pouco o climão da partida.


Chegamos em São Paulo, na casa de Zé e Patrícia por volta das 23h. Tomamos um vinhozinho de leve até as 3h45...


Na Segunda-feira fui com Zé buscar 5 malas na casa de Edu, compramos carnes e voltamos para a casa deles para um churrasco de carnaval. A turma é bem animada, com muitas crianças, o que ajudou a distrair as nossas para a viagem da noite.


Na saída para o aeroporto de Guarulhos, estabeleci mais um recorde de arrumação de bagagens ao colocar 8 malas grandes, 4 de mão, 2 mochilas e 4 pessoas em uma Chevrolet Spin.



Chegamos no Aeroporto de Toronto por volta das 6:00 da manhã do dia 9 de fevereiro de 2016. Passamos pelas formalidades de imigração com um oficial sério mas simpático. Passamos no Service Canada ao lado da imigração e já fizemos o SIN. Em seguida fomos para a alfândega onde também tivemos um excelente atendimento e onde recebemos o famoso "Welcome to Canada".

Dicas para a chegada:
  • Voamos pela Air Canada que chega no Terminal 1. American Airlines e TAM chegam no Terminal 3. Não sei se a informação procede mas o Service Canada só tem escritório no Terminal 1. Facilita muito já sair do aeroporto com esse passo dado.
  • Fomos elogiados pelo fato de trazermos os formularios B4 de Goods Accompanying e outro para Goods to Follow preenchidos completamente e em duas cópias. Os oficiais gostaram mesmo foi de ver fotos dos bens que viriam depois. Como se tratava basicamente de uma escultura de madeira e alguns quadros eles gostaram muito pois facilita o controle já que não depende de descrições escritas.
Ao sair da imigração usei um telefone público para chamar um taxi e irmos para a locadora pegar o carro que alugamos para os primeiros dias. Dica: para uma familia de 4 pessoas, 8 malas, 4 malas de mão, sugiro alugar uma mini-van.


Houve uma pequena confusão ao alugar o carro pois a loja achava que precisávamos de 7 lugares quando o nosso problema eram as malas. Daí eles reservaram um Dodge Journey no qual não cabiam as malas. Enquanto resolviam a troca do carro nos ofereceram o Journey para irmos comer algo. Fomos num Tim Horton's que fica perto e cumprimos mais essa tradição dos recém-chegados no Canadá. Detalhe, nossas malas ficaram na locadora, algumas sem cadeado. Quando voltamos já estavam no carro e o rapaz fez questão que conferíssemos se estavam todas lá. Confiança, hoestidade, a gente vê por aqui!


Alugamos um apartamento pelo Airbnb, em Mississauga, próximo ao SquareOne. Antes passamos no Wal*Mart do SquareOne para fazer umas compras básicas para jantar e café da manhã. Acabou que tivemos que voltar no shopping para comprar umas besteiras e fizemos um lanche por volta das 17h. Estávamos tão cansados que fomos dormir bem cedo, antes das 21h já dormíamos.


Não poderia terminar este post sem agradecer a todas as pessoas que fizeram parte deste processo. Seria injusto colocar nomes aqui, mas cada um de vocês sabe o apoio e a ajuda que nos deram desde os que influenciaram e deram segurança, passando pelos que ajudaram lá no comecinho, durante todo o processo, neste final antes da viagem, aos que nos receberam aqui e aos que continuam nos ajudando após a nossa chegada. Agradecemos de coração!