sexta-feira, 4 de junho de 2010

Deus recompensa a Excelência

É simplesmente impressionante como o povo americano é doutrinado a trabalhar duro para atingir o sucesso. Acabo de passar mais de 30 minutos vendo uma pregação do Ministro Joel Osteen na televisão. O que me chamou a atenção foi o fato de ele falar tanto em trabalho num sermão religioso.
A mensagem dele foi a de que devemos fazer com excelência (excel) até mesmo quando ninguem está vendo. Ele deu diversos exemplos de como devemos trabalhar duro para conseguir o que queremos, como a passagem bíblica da escolha da esposa de Isaac, filho de Abraão. Também deu exemplos de como quando fazemos um trabalho mal feito ele será descoberto.

Veja alguns exemplos de como glorificar Deus de acordo com Joel Osteen:
  • Realizando uma grande venda para sua empresa.
  • Desenvolvendo um software para o seu departamento.
  • Fazendo coaching com algum colega.
Não estou querendo fazer pregação religiosa aqui. O tema deste post é justamente que até em pregação religiosa os americanos colocam o trabalho duro e a questão de vencer pelos próprios meios. É impressionante como desde sempre esse povo é incentivado e treinado a fazer seu trabalho, empreender e conquistar seu espaço com seus próprios meios.

Acho que mais da metade da população brasileira hoje é da opinião de que vencer na vida é passar em um concurso público para trabalhar pouco e ganhar muito. Antes que os servidores públicos me ataquem (inclusive Claudia), não estou dizendo que os servidores não querem trabalhar ou trabalham pouco. O que quero dizer é que a maioria dos que estão fora querem mesmo é uma boquinha.

Se você leu o livro 1808 de Laurentino Gomes - se não leu, leia - você deve se lembrar de uma passagem que para mim foi a mais marcante do livro. Nela o autor diz que os filhos da elite brasileira do século XVIII eram educados em Portugal, principalmente em Direito na Universidade de Coimbra pois esta era a carreira que dava mais chance de se conseguir uma vaga no serviço público.


Acho que o serviço público quando feito por vocação, com dedicação e seriedade é uma das atividades mais louváveis que existem. Servir a população, muitas vezes sem boa estrutura e tendo que ser criativo para driblar as dificuldades impostas para que o povo tenha uma vida melhor, é algo de que se deve orgulhar. É uma pena que existam tantos que preferem simplesmente não fazer nada.

Se estes que não fazem nada escutassem o Ministro Osteen e glorificassem Deus nas 6 ou 8 horas em que estão no trabalho todos ganharíamos. O Dalai Lama diz que quando você faz o bem a alguem a sua vida melhora pela paz de espírito que esse ato traz.

O fato é que o americano trabalha, e trabalha muito, para vencer na vida. E vencer na vida para os americanos é ser alto funcionário de grandes empresas com um excelente salário e bônus ou ter sua própria empresa faturando muito dinheiro.

4 comentários:

  1. Oi Rafael,

    Muito interessante seu post. Depois de um ano como funcionário público da prefeitura de Calgary no Canada posso afirmar com absoluta convicção que até mesmo o funcionarismo público do lado de cima do equador é diferente.
    Na prefeitura de Calgary existe uma estrutura politica: prefeito e vereadores (conselheiros) e uma estrutura executiva.
    O grande barato é que a estrutura política não exerce nenhuma, isso mesmo, nenhuma influencia na estrutura executiva, onde quem manda é o "City Manager" um profissional escolhido a dedo no mercado para "gerenciar" a cidade e suas "business units". Todos os funcionários da estrutura executiva são contratados como em uma empresa particular, e possuem metas e objetivos - Que rendem bonus ou demissão, dependendo do desempenho - Legal né?
    Pena que não consigo imaginar nada parecido aqui no Brasil...
    Grande abraço,

    Paulo Camargo

    ResponderExcluir
  2. Bola , as coisas estão melhorando.
    No Brasil , muitas pessoas optam pelo cargo público, imagino eu , porque é muito difícil empreender: a burocracia ,o crédito e mesmo a falta de estrutura de algumas regiões.
    Com relação ao serviço público essa é mais uma opção profissional,imagino que você pode trabalhar na empresa X,Y... e o pra o Estado , o que faz o excelente funcionário optar pelo Estado é que as empresas X,Y... não oferecem as mesmas condições de trabalho. E a realidade é que bons locis trabalho existem mas não absorvem a todos e com isso algumas pessoas tem optam por trabalhar para o estado.
    Resumindo , se uma empresa boa precisa de um excelente funcionário ela irá oferecer condições e oportunidades que farão esse funcionário optar por não ir para a carreira pública, aqui nos EUA isso acontece mais que no Brasil.
    abs,
    L

    ResponderExcluir
  3. Bola, estabilidade gera desapego a resultado. Simples assim. Não importa o quão bom é o indivíduo, a reação natural à estabilidade é ser vencido pelo cansaço. To postando esse comentário enquanto faço parte de uma banca que está avaliando os projetos de 62 jovens empreendedores. Há luz no fim do túnel irmão. Amém. Guilo

    ResponderExcluir
  4. Acho que nossa veinha européia, ou melhor, inglesa, da qual também usufruem os americanos, veio muito forte, porque compartilho das mesmas idéias desde a adolescência. Já meu filho...E olhe que ele é Dobbin-Dobbin!!!
    Outra coisinha: Você escreve muito bem. Encadeamento de palavras, organizaçaod e pensamento e nível de linguagem dignos de neto de Buca!!! Parabéns!!!
    Bjs da comadre,
    Gigi

    ResponderExcluir